» » O Que é Feminismo Liberal?

O Que é Feminismo Liberal?

O feminismo liberal é a terceira onda do feminismo que busca a igualdade de gêneros através de ações e escolhas individuais feitas pelas mulheres e pela mudança dos sistemas jurídico e político sem que seja necessária uma mudança na estrutura da sociedade, como prega o feminismo radical. Para as feministas liberais apenas uma mudança no sistema capitalista se faz necessária para que mulheres e homens tenham direitos iguais.

Seus pensamentos se baseiam na ideia de que, como a sociedade tem a visão intrínseca de que a mulher é menos capacitada física e intelectualmente do que os homens, elas acabam sendo discriminadas e menos toleradas no mercado e na política. Também são propostas do movimento a mudança dos idealismos culturais enraizados, a forma de escrever livros didáticos e a reforma de leis.

Foi na época do Iluminismo que o feminismo liberal surgiu influenciado pelo mesmo, já que a ideia principal da época era a de desenvolver a consciência com base na razão para se tornar um indivíduo sábio e iluminado.

A luta pelo direito ao voto consegue exemplificar bem o conceito do feminismo liberal, assim como a luta pelo acesso à educação, pelas oportunidades políticas e pela liberdade sexual.

Qual a diferença de feminismo liberal e feminismo radical?

O feminismo liberal e o feminismo radical são duas ondas do feminismo totalmente opostas. A principal diferença entre elas é o individualismo contra o coletivismo.

Enquanto o feminismo liberal segue ideias individualistas, onde as mudanças propostas são no âmbito particular de pensamento e ação (sozinha eu posso fazer a diferença) e nos sistemas jurídico e político, o feminismo radical prega a mudança total na estrutura da sociedade considerada machista, formada com base no patriarcado, na submissão das mulheres e dominação dos homens em todos os aspectos. Para o feminismo radical todos devem caminhar com uma nova linha de pensamento.

Feministas liberais

Algumas das representantes do movimento são:

  • Mary Wollstonecraft;
  • John Stuart Mill;
  • Harriet Taylor;
  • Harriet Tubman;
  • Bertha Lutz;
  • Betty Friedan;
  • Hillary Clinton;
  • Gloria Steinem;
  • Rebecca Walker;
  • Naomi Wolf;
  • Martha Nussbaum;
  • Eleanor Roosevelt.

Atualizado em: 05/06/2018 na categoria: Feminismo